sexta-feira, 11 de março de 2011

Após catástrofe causada por fenômeno natural no Japão é hora de refletirmos sobre o amor.

Oi, vocês já viram o filme Wall-E?

Após entulhar a Terra de lixo e poluir a atmosfera com gases tóxicos, a humanidade deixou o planeta e passou a viver em uma gigantesca nave. O plano era que o retiro durasse alguns poucos anos, com robôs sendo deixados para limpar o planeta. Wall-E é o último destes robôs, que se mantém em funcionamento graças ao auto-conserto de suas peças. Sua vida consiste em compactar o lixo existente no planeta, que forma torres maiores que arranha-céus, e colecionar objetos curiosos que encontra ao realizar seu trabalho. Até que um dia surge repentinamente uma nave, que traz um novo e moderno robô: Eva. A princípio curioso, Wall-E logo se apaixona pela recém-chegada.
Fonte: adorocinema.com

O que é que esse filme tem a ver com essa tragédia que ocorreu no Japão, que bem sabemos é um fenônimo natural e que acredito, não tem nada a ver com lixo ou poluição? Vou tentar explicar... Tenho um filho de 5 anos, e hoje vendo pela TV, as imagens do Terremoto seguido por tissuname que avassalou o Japão nesta madrugada, nem tinha percebido que ele tinha se aproximado e estava como eu, de olhos arregalados vendo uma onda gigantesca levando milhares de entulhos, casas, telhados e muitos carros. Logo depois apereceram imagens do caos, um monte de entulhos, carros empilhados, casas devastadas, tudo deixado pela onda. Ele em sua inocência me perguntou o que era tissuname, respondi claramente a verdade de forma bem simples digna para o entendimento de uma criacinha. A primeira coisa que ele disse, foi tadinho de todo mundo que mora lá, vai chegar até aqui essas ondas? Respondi que achava que não, e disse que temos que rezar muito pelas pessoas com quem aquilo tinho acontecido, e para não acontecer com a gente. Ele virou as costas e se voltou para suas brincadeiras. E eu fiquei pensando...
Daí a pouco ele voltou, segurou minha mão e disse: Mamãe, vamos assistir Wall-e (animação da Disney Pixar) deu uma pausa e disse: Juntinhos!
Concordei, liguei o aparelho de DVD e assistimos.
Depois que deixei ele na escola fiquei pensando muito sobre esse ocorrido. Fazia um tempão que ele não pedia pra ver esse DVD, ele sempre vê outros repetidamente, por que justo hoje ele quis este? Refleti muito sobre isso. A mensagem principal do filme é que devemos ficar alertas quanto à poluição que causamos ao planeta. Mas paralelo, como todo bom filme que se preze, mostra um lindo romance. Uma história de amor entre dois Robôs, olha só a ironia, os seres humanos no filme são salvos graças ao amor entre dois robos???? ???? ???? ????
***
É com o coração muito apertado que vejo essas imagens da catástrofe que aconteceu no Japão. Me coloco no lugar dessas pessoas, vítimas de um acontecimento tão devastador como este. Imaginem só o desespero, a necessidade de correr mais do que seu corpo pode aguentar, de gritar ainda mais alto que sua garganta o permite fazer! É quase inimaginável, porque é um momento que ninguém deseja passar, então nossa mente bloqueia o campo mais fértil do nosso cérebro, de nos permitir sequer imaginar, quão grande deve ser o desespero de uma dessas vítimas.
Esse episódio no Japão è o ápice das catástrofes, pois temos visto nos últimos tempos uma sucessão imensa de desastres ecológicos acontecendo, vitimando centenas de vítimas. Como vimos aqui no Brasil no Rio de Janeiro, no sul, Centro-oeste, no nordeste, e em diversas outras partes do mundo. É assustador pensar em tudo isso.
Porém, diante deste caos, diante de tanto sofrimento humano, ainda consigo enxergar uma teia ténue surgir. É a teia da solidariedade, é a mobilização de milhares de pessoas que se condoem e se prontificam e buscam, de alguma forma amenizar o sofrimento daqueles que padecem após esses desastres.
Nós enquanto seres humanos, somos integrantes da natureza, liderando o reino animal. E a cada dia que passa vemos a natureza se manifestando e tentando nos mostrar o quanto estamos nos afastando da nossa verdadeira essência natural. Além de destruir o planeta, a natureza, o homem também tem destruído a si próprio, se tornando cada vez mais egoísta, mais preconceituoso com o próximo, esquivo com os pequenos problemas alheios, cheio de desamor.
Mas nem tudo está perdido. Como merecidamente a natureza é chamada por muitos por Mãe, ela ás vezes nos pune rudemente, no intuito de nos dar uma boa lição. SOMOS UNS PELOS OUTROS, tanto é que depois dessas catástrofes assombrosas, depois que os sobreviventes perdem casa, comida, roupas, documento, a única coisa que resta é a solidariedade humana. Depois do choque da notícia, das imagens comoventes, nossa mente pára sua órbita rotineira e nosso coração toma enfim o controle, e somos tomados pelo amor, pelo amor ao próximo.
Tivemos pela televisão a notícia do caos, mas também veio a noticia de que Estados Unidos, China e outros países, poucas horas após o acontecido já tinha à postos navios abastados com socorro, prontos para partir à qualquer momento que os líderes japoneses manifestassem a necessidade de ajuda.
Então, agora eu me pergunto, será que isso é só uma divagação minha ou realmente faz sentido. Será que além de cuidar do planeta, não temos que cuidar um pouco mais de nós mesmos, de amarmos mais uns aos outros???? ????
Eu realmente acho que o amor ajuda a curar tudo. Se não, pelo menos amenizar.
Permitam romper a casca dura do egoísmo e olhe um pouco mais para quem está ao seu redor. Devemos sim, com toda certeza do mundo ajudar ás vítimas desses infortúnios. Mas não limite mais seu coração a se manifestar somente nesses momentos, não quero entrar em méritos religiosos, mas cabe aqui lembrar: AMAI-VOS UNS AOS OUTROS ASSIM COMO EU VOS AMEI. Acho que é isso que a natureza quer de nós, afinal é unânime, essa é a primeira coisa que fazemos quando arregalamos nossos olhos diante dessas notícias chocantes que recebemos. AMAI-VOS MAIS UNS AOS OUTRO!!!!


Vale muito à pena assistir a animação Wall-E, é delicioso, nos primeiros 30 minutos do filme, não há sequer uma fala, mas as imagens e exporessões do robozinho são tão intensas e cativantes que você nem percebe que não ouviu nenhuma fala ainda. Tem toda uma leitura infantil, mas uma pegada forte pra fazer qualquer adulto refletir um pouquinho.

Comovida e solidária ás vítimas,

Daniela Rhodry

Imagem: Google

Um comentário:

  1. É realmente muito triste tudo que aconteceu no Japão, impossível não pensar nas vítimas e o que levou tudo isso a acontecer...
    As crianças normalmente tem uma grande sensibilidade, tenho muita esperança que o mundo para eles será bem melhor.
    BJS

    ResponderExcluir

É sempre muito gratificante saber o que você pensa. Obrigada pelo carinho! Volte sempre e comente sempre que puder!