quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Puro Luxo!!!!

Existem alguns objetos que são mais que sonhos de consumo, são “Delírios de consumo”!!!!

Uma it bag, nada mais é do que isso, um “Delírio de consumo”! Ou seja, aquela bolsa que a gente sonha em carregar nas mãos um dia.
São bolsas produzidas em pouquíssimas unidades, pois o processo de produção é totalmente artesanal. É inteiramente confeccionada por um único artesão, que leva em média 25 horas para concluí-la. O couro é retirado de animais exóticos como carneiros, cabras, avestruzes e crocodilos. Esses animais são criados, de forma sustentável, respeitando o meio ambiente, exclusivamente para este fim. A famosa marca Hermés, por exemplo, para confeccionar um único modelo de suas preciosidades, utiliza dois crocodilos, que são criados em fazendas nos Estados Unidos, África do Sul e Austrália, onde vivem sob rigorosos cuidados para que não esfreguem muito a barriga no chão, afim de não estragar a pele.
Alguns modelos de marcas famosas se tornaram um luxuoso sonho de consumo quando uma dessas bolsas foi fotografada nos braços de uma dessas mulheres poderosíssimas, ícones de glamour, elegância, beleza e algum tipo de poder.

Como Grace Kelly que foi fotografada usando uma Hermés para cobrir a barriga e disfarçar a gravidez. Com isso, simplesmente a bolsa se tornou uma it bag, todas as mulheres queriam um modelo igual, e a bolsa foi então batizada com o nome da princesa, passou a ser chamada de “Hermés Kelly”




O mesmo aconteceu com Jaqueline Kennedy. Era vista com um modelo Gucci em diversas aparições públicas, A marca nada boba, batizou o então modelo com o influentíssimo nome da ex-primeira dama americana. Jackie Bag foi como o acessório foi eternizado.




 Mia Farrow, embora conhecidíssima pelo estilo Low Profile não  resistiu ao glamour e praticidade da Chanel 2.55.  Por diversas vezes diante dos holofotes foi flagrada com um modelo, que tem esse nome em referência ao mês e ano de sua criação. A sempre inovadora Mademoiselle Chanel (minha inspiradora), depois de instituir, dentre tantos atributos, o preto como sinônimo de elegância e a praticidade dos cabelos curtos, em 1955 lança ao mundo a primeira bolsa tira-colo (salve, salve! minha ídola) do mundo da moda. Antes dela, só os carteiros usavam algo parecido.






 Lady Di por sua vez foi presenteada com um modelo Dior, que desde a primeira vez que foi fotografada com o acessório, transformou-a em objeto de desejo.


Já Jane Birkin, garota ousada e sem protocolo dos anos 60(dona da voz sussurrante que se ouve na sensual e polêmica canção francesa “Jet’aime moi nom plus”), embora não fosse primeira dama nem princesa conseguiu um feito ainda maior, teve uma bolsa criada em sua homenagem. A jovem viajava no mesmo avião que Jean-Louis Dumas, então diretor da Hermés, quando os papéis de sua bolsa caíram no chão. Ao presenciar tal episódio, Jean-Louis prometeu criar uma bolsa grande o suficiente pra carregar tanta coisa, porém, linda o bastante para representar a grife. Logo o mercado dos sonhos luxuosos de consumo conhecia o modelo Hermés Birkin, simples assim...


Para conseguir um desses modelos é preciso não só desembolsar a bagatela de alguns mil dólares ( os preços variam algo entre 6.000 e 15.000 dólares ), como também enfrentar uma fila que gira em torno de dois a cinco anos de espera.

A mim, basta apenas sonharrrrr!!!! (rsrsrs)
Doces bjos...

Danie Leticia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É sempre muito gratificante saber o que você pensa. Obrigada pelo carinho! Volte sempre e comente sempre que puder!